Campus Guarulhos • Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Programa de Pós-Graduação em Educação 

Área e Linhas de Pesquisa

Selecione a Área ou Linha de Pesquisa para descrição.

Educação

A educação é concebida como elemento fundamental na constituição do ser humano e envolve os processos sociais de formação, relacionados à apropriação da cultura, às formas de ser, de agir e de refletir. São processos e práticas que ocorrem de forma intencional e difusa, em diferentes instâncias de socialização. A educação efetiva-se nas relações estabelecidas entre os seres humanos, objetivando a formação de indivíduos, vinculada ao processo civilizatório; na modernidade, a escola destaca-se como locus de formação dos sujeitos, com a finalidade de lhes assegurar participação no mundo produtivo e na vida pública. A ação educativa está vinculada a concepções específicas de ser humano e tais concepções são histórica e socialmente situadas. A Educação diz respeito à cultura, contemplando uma ideia de valor ou do que é valorizado por determinado grupo. Transmite, perpetua e modifica a experiência humana nomeada cultura, pressupondo a relação de ensino e aprendizado.

Linha de Pesquisa 1:  Educação: Desigualdade, Diferença e Inclusão

Esta linha de pesquisa reúne projetos atentos aos aspectos singulares e coletivos na configuração dos sujeitos no amplo espectro da educação, especialmente alunos, professores e familiares em contextos desafiados a responder por práticas de educação inclusiva e de afirmação das diferenças. Toma por base que as assimetrias pessoais e coletivas dessa configuração devem ser permanentemente desnaturalizadas, de modo a acumular esforços para elucidar como a mesma dinâmica que constitui alunos conforma “não alunos”. Têm destaque sujeitos que permanentemente são desacreditados, vistos como inaptos ou inadaptáveis ao convívio institucional. Tais sujeitos expressam uma parcela de natureza não dominada que insiste em se revelar, desafiando o processo de esclarecimento que, dessa forma, expõe a sua fragilidade. Na educação escolar, o convívio com as diferenças é permeado por aferições de desempenho e pela valorização de performances intelectuais e corporais, que têm como transfundo o homem produtivo e competitivo de nossa sociedade. A linha diz respeito, portanto, à construção social das deficiências, normalizações e normatizações. Mas também, às formas de exclusão, às estratégias de conduzir as condutas, bem como a produção das diferenças e das singularidades, incluindo as de extração étnico-raciais e de gênero. Nesta linha, os estudos e as pesquisas sobre as desigualdades e as diferenças permitem abordar as diferenças, com recursos analíticos da antropologia, da sociologia, da filosofia, da psicologia histórico-cultural, da teoria crítica, mobilizando aportes teóricos que identificam desigualdades e diferenças no bojo da produção de controles sociais e de violências as mais complexas e variadas. Na contraface desses controles, a linha dialoga com os processos de construção identitárias das diferenças, individuais e coletivas. As relações de poder e de saber também são identificadas nos processos que geram autoridade argumentativa e prescritiva para delinear “a diferença dos diferentes” e institucionalizar práticas e saberes que diminuem a densidade das ações inclusivas com estratégias que patologizam comportamentos, inferiorizam formas do corpo e particularidades do intelecto. Sendo assim, a linha de pesquisa reúne esforços analíticos que buscam compreender as formas das desvantagens pessoais e sociais presentes nos processos de inclusão educacional, e faz isso de modo a identificar como, em cada caso especificamente estudado, a produção das desigualdades sociais e a configuração das diferenças individuais são interdependentes.


Orientadores

Alexandre Filordi de Carvalho
Daniel Revah
Daniela Finco

Edna Martins
Ellen Gonzaga Lima Souza
Marcos Cezar de Freitas

Marian Ávila de Lima e Dias

Linha de Pesquisa 2:  Educação, Estado, Trabalho

Estudos sobre escola, políticas e relações sociais que conformam a educação institucionalizada demandam diálogo com categorias amplas que medeiam a formação do ser humano, como trabalho, cultura, economia e educação, além do Estado como uma das formas de organização das sociedades contemporâneas. Dessa compreensão decorre a organização da linha, que abrange investigações sobre as relações entre Trabalho, Estado e Educação, sob diferentes perspectivas teóricas, epistemológicas e metodológicas, em diálogo com aportes teóricos de disciplinas como Ciências Sociais, Ciência Política, História e Ciências Econômicas. Contempla pesquisas sobre implementação e avaliação de políticas públicas em educação; estudos internacionais de políticas e reformas educacionais; políticas de currículo e avaliação educacional; condições de trabalho docente e gestão educacional. As pesquisas desta linha têm como pontos de convergência o direito e a democratização da educação e as interfaces das políticas educacionais com as práticas escolares.


Orientadores
Ana Paula Santiago do Nascimento
Celia Maria Benedicto Giglio

Claudia Barcelos de Moura Abreu
Débora Cristina Goulart
Luiz Carlos Novaes

Márcia Aparecida Jacomini
Maria Angélica Pedra Minhoto

Linha de Pesquisa 3:  Escola Pública, Formação de Professores e Práticas Pedagógicas

Esta linha de pesquisa agrega projetos que têm como objetos de estudo a escola pública na perspectiva de transformação da realidade social, os sentidos emancipatórios do conhecimento escolar na interface com processos formativos, também de caráter emancipatório, dos profissionais do ensino que ocorrem nos cursos de Licenciatura (formação inicial) e ao longo da carreira no magistério (formação contínua) consubstanciadas em práticas pedagógicas. Analisa as relações entre políticas públicas, programas de formação de professores e práticas pedagógicas. Os estudos abarcam a formação e a prática profissional de professores e pedagogos da educação básica e superior, tendo por base a problematização do exercício profissional em diferentes contextos institucionais, sob os seguintes aspectos: constituição da identidade docente, inserção profissional, desenvolvimento profissional docente, trato das relações de classe, étnicos raciais, de gênero e de orientação sexual. A base de investigação dos estudos produzidos nessa linha de pesquisa parte da compreensão de que toda ação pedagógica é uma atividade teórico-prática situada, que se configura de acordo com o lugar em que se materializam as condições objetivas de vida e de trabalho.


Orientadores
Isabel Melero Bello
Itale Luciane Cericato
Jorge Luiz Barcellos da Silva
Magali Aparecida Silvestre
Marieta Gouvêa de Oliveira Penna
Umberto de Andrade Pinto

Linha de Pesquisa 4:  História da Educação: Sujeitos, Objetos e Práticas

A História da Educação Brasileira, desde a última década do século XX, tem passado por reconfiguração pautada, sobretudo, no balanço amplo e detalhado do itinerário da historiografia da educação. Houve, desde então, um alargamento temático do campo, com a constituição de novos objetos e novas abordagens, bem como a remodelação de antigos temas, articulados na fértil interlocução entre os historiadores da educação e a produção historiográfica contemporânea. A presente linha de pesquisa, alinhada com essa reconfiguração, contempla estudos e pesquisas sobre a educação, realizados em uma perspectiva histórica. As pesquisas vinculadas à linha investigam processos educativos escolares e não escolares analisados a partir dos referenciais da História, da Filosofia e das Ciências Sociais; vinculações temáticas que problematizam, especialmente, questões recortadas a partir do contexto regional, em conexão com as discussões teóricas nacionais e internacionais; estudos acerca: (a) das instituições (escolares, acadêmicas e outras), trajetórias de formação docente/discente, políticas, práticas e culturas escolares (sujeitos, espaços, tempos, saberes, currículo, disciplinas escolares e acadêmicas, arquitetura, mobiliário); (b) intelectuais da educação; (c) processos nacionais e internacionais de produção, circulação e apropriação de modelos e padrões pedagógicos envolvidos nas práticas educacionais, na organização dos tempos e espaços escolares e na constituição de memórias (livros escolares, literatura pedagógica, grande imprensa, imprensa educacional, periódicos educacionais, literatura, dentre outros). Para o tratamento desses temas, esta linha de pesquisa opera com conceitos e procedimentos de pesquisa extraídos da História Cultural, da História Intelectual e da História dos intelectuais, bem como da Nova História Política.


Orientadores
Claudia Panizzolo
Fernando Rodrigues de Oliveira
Mirian Jorge Warde
Regina Cândida Ellero Gualtieri
Renata Marcílio Cândido
Wagner Rodrigues Valente

Linha de Pesquisa 5:  Linguagens e Saberes em Contextos Formativos

A linha de pesquisa “Linguagens e Saberes em contextos formativos” caracteriza-se pela preocupação em investigar os aspectos epistemológicos implicados na constituição dos sujeitos sociais contemporâneos, com destaque para os temas que perpassam os objetos de ensino e de aprendizagem. Nesse movimento, busca refletir sobre os desafios relacionados à produção e apropriação do saber, no contexto contemporâneo, a partir do estudo da relação entre a produção do conhecimento nos diferentes espaços (escolares e não escolares) e as transformações ocorridas nos múltiplos contextos históricos, sociais e culturais. Operando com conceitos emanados de distintos campos do saber - como a Filosofia, a Sociologia, a Linguística, a Psicologia e as Didáticas específicas - a linha de pesquisa tem como foco de investigação, processos educacionais, formais e não formais, destacando-se, neste escopo, questões afeitas, dentre outros aspectos: a) aos conhecimentos produzidos em diferentes contextos formativos; b) às metodologias de ensino e de investigação voltadas para o ensino e a aprendizagem, em distintos níveis e esferas; c) à construção do conhecimento científico e matemático; d) aos saberes pedagógicos e específicos necessários à produção do conhecimento; e) à produção curricular para a formação científica; f) à produção de materiais didáticos; g) à produção de significados, por meio de múltiplas linguagens (escrita, oral, imagética, cartográfica, hipermidiática, científica, entre outras); h) à formação inicial e continuada de professores para integrar a mídia às práticas sociais desenvolvidas no ethos educativo; i) às ações e/ou programas de inclusão digital, entendida como uma das facetas da inclusão social; j) à formação inicial e continuada de professores para o ensino e aprendizagem conceitual; k) aos elementos constitutivos da atividade pedagógica, em geral e aos processos de ensino e de aprendizagem, em particular.


Orientadores
Claudia Lemos Vóvio
Emerson Izidoro dos Santos
Érica Aparecida Garrutti de Lourenço
Jerusa Vilhena de Moraes
Lucila Maria Pesce de Oliveira
Sandro Luis da Silva
Vanessa Dias Moretti 

 

© 2013 - 2022  Universidade Federal de São Paulo - Unifesp

Campus Guarulhos da Unifesp • Edifício Arco - Sala 33 • Estrada do Caminho Velho, 333  - Jardim Nova Cidade • CEP 07252-312 Guarulhos - SP •  ppg.educacao@unifesp.br