Campus Guarulhos • Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Programa de Pós-Graduação em Educação 

Projetos de Pesquisa

Conheça os projetos de pesquisa sob responsabilidade dos docentes do Programa de Pós Graduação em Educação

A arte de civilizar: um estudo dos livros para a leitura da escola primária paulista (1870- 1950)

Data: 01/01/2014 - em andamento

Tendo como base os aportes teóricos da História Cultural e considerando como campo de estudo a História da Educação, bem como a História da Infância, propõe-se neste projeto de pesquisa a realização de uma investigação a respeito das representações de infância que foram produzidas/reproduzidas entre os séculos XIX e XX. Considera para tanto, infância como sendo a representação que os adultos fazem sobre o período inicial da vida e que, portanto, deve ser investigado tendo em vista os limites que ampliam e restringem a abrangência deste conceito tais como a duração e as especificidades geográficas, sociais, culturais e históricas. Derivação do projeto financiado em 2009 pela FAPEMIG com o título A educação de meninos e meninas no Brasil na primeira metade do século XX, por mim coordenado e do projeto denominado Moldando a infância: sujeitos e instituições [entre o século XIX e o século XXI], coordenado pela Profª Drª Mirian Jorge Warde financiado pelo CNPq. O atual projeto se assenta nos caminhos abertos por Norbert Elias para que se compreenda a formação do indivíduo e suas apropriações dos objetos de cultura, como os modos de ler e as relações com os livros, bem como a análise sobre os efeitos produzidos pelos bens simbólicos no espaço social e dos processos de interiorização dos constrangimentos que permitem o aprendizado da vida em grupo. Tal como os manuais de civilidade, os livros de leitura podem ser tomados como utensílios culturais que estabelecem elos e vínculos entre as estruturas mentais e as figurações sociais, ou no dizer de Elias (1994) entre a psicogênese e a sociogênese. O presente projeto tem por objetivo investigar as operações de civilidade impressas e impostas em livros destinados ao ensino da leitura, bem como as representações de infância e criança e os processos de formação do habitus social pela leitura. Para tal intento toma como fonte as cartilhas, os livros de leitura e as séries graduadas que circularam em São Paulo entre os séculos XIX e XX.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Claudia Panizzolo (responsável pelo projeto)

A formação de professores sob a perspectiva da psicanálise

Data: 01/01/2018 - em andamento

Este projeto de pesquisa, cuja principal referência teórica é o campo conceitual da psicanálise, busca investigar e discutir a formação de professores, sobretudo a chamada formação continuada. Além de pesquisar e discutir as diferentes formas de conceber e realizar essa formação, a investigação envolve o desenvolvimento de formas de (co)elaboração das experiências docentes que buscam se distanciar dos modelos de formação que os silenciam e que produzem, ademais, a sua subordinação ao saber especialista. Essa formas de (co)elaboração são desenvolvidas e investigadas em grupos de professores da Educação Básica. Uma das questões implicadas na pesquisa e no trabalho com os docentes é a questão da inclusão escolar.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Dr. Daniel Revah (responsável pelo projeto)

A matemática na escola primária nos séculos XIX-XX: estudos comparativos entre o Brasil e a França

Data: 12/12/2018 - em andamento

A investigação é realizada a partir de projeto de cooperação internacional CAPES-COFECUB. No Brasil, reunindo um conjunto de universidades e na França, incluindo a Université de Paris SUD e a Université de Limoges. A pesquisa trata de uma investigação histórica, de natureza comparativa, buscando captar as mudanças no ensino de matemática na escola primária, a partir da década de 1880 até 1960, na França e no Brasil. Este marco temporal cobre um período onde o ensino primário escolariza progressivamente as crianças saídas dos meios populares, e o ensino secundário, reservado às elites sociais, ambos constituindo dois níveis de ensino separados e onde são forjadas duas culturas escolares fortemente determinadas pela origem e destino social dos alunos. De outra parte, se a escola primária francesa escolariza a quase totalidade das crianças, desde os anos 1880, tal não é caso do Brasil onde, verdadeiramente, só na segunda metade do século XX a escola primária transforma-se numa escola de massas. Mencione-se, de outra feita, que neste país, em tempo anterior à Lei Orgânica do Ensino Primário (1946), cada estado geria a sua própria escola primária. E, nesse contexto, destaque-se o papel de São Paulo como pioneiro na difusão de um modelo para escola primária através da criação dos Grupos Escolares (1893). Ancorado sobre um trabalho coletivo de comparação e de confrontação de contextos e especificidades nacionais, a pesquisa será desenvolvida seguindo-se três grandes eixos: 1- A recepção e as táticas de apropriação das prescrições oficiais pelos professores; 2- A influência da Escola Nova sobre o ensino de matemática; 3- A formação de professores para o ensino primário.

Recursos: CAPES/COFECUB

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Dr. Wagner Rodrigues Valente (responsável pelo projeto)

A matemática na formação de professores e no ensino: processos e dinâmicas de produção de um saber profissional, 1890-1990

Data: 12/12/2018 - em andamento

Ao longo dos projetos desenvolvidos e em curso no GHEMAT, o tema formação de professores tem sido sugerido, de forma recorrente, para futuras investigações históricas. Ao constituir-se em nova etapa investigativa, esta proposta leva em conta conquistas anteriores do grupo tais como a consolidação de uma rede de pesquisadores, as práticas de trabalho coletivo que têm marcado suas atividades, os avanços obtidos em relação a produção dos projetos concluídos, a qualidade da base de dados digitalizados disponibilizada. Agregam-se ao perfil do grupo as aprendizagens do ofício de historiador e da operacionalização de conceitos da história cultural e a busca por novos referenciais para ampliação de sua base teórico-metodológica, como as recentes leituras advindas dos trabalhos realizados pela Equipe de Pesquisa em História das Ciências da Educação (ERHISE), da Universidade de Genebra, na Suíça. Tais referenciais voltam-se para a compreensão histórica dos saberes profissionais da docência, objetivados em termos de legislações, decretos, dentre outros, no que se refere aos saberes a ensinar e os saberes para ensinar. Para além dos saberes de experiência que integram a base da formação docente, já evidenciados em várias pesquisas, no presente projeto considera-se a matemática como uma ferramenta da profissão docente, como um saber profissional comprometido com o ensino. Assim, este projeto tem seu foco nos saberes objetivados, saberes formalizados, passíveis de sistematização elaborados por processos históricos e dinâmicas articuladas da formação e do ensino da matemática. O levantamento realizado em estudos recentes sobre formação de professores aponta ausência de pesquisas sobre saberes objetivados e sistematizados que são transformados em saberes institucionalizados para formar professores e para o ensino da matemática nos primeiros anos escolares. Nesse sentido, esta proposta tem como objetivo geral investigar processos e dinâmicas constituintes do saber profissional do professor que ensina matemática no período compreendido entre 1890-1990. Dada sua abrangência temporal, o projeto suscitou recortes específicos da ampla temática a ser investigada implicando seu desdobramento em quatro eixos cada qual abarcando no mínimo dez subprojetos, todos imbuídos em tornar inteligíveis processos constituintes da matemática a ensinar e da matemática para ensinar e suas dinâmicas de articulação. Embora centre suas discussões em diferentes aspectos dos complexos saberes profissionais, os eixos estruturantes mantém-se articulados, permitindo integrações entre suas respectivas propostas. A partir de diferentes recortes (experts, processos da matemática a ensinar; processos da matemática para ensinar; a matemática ensinada) os subprojetos dos eixos buscam alcançar especificidades do projeto temático, seja aprofundando o quadro-teórico do trabalho comum, analisando o movimento de componentes curriculares da formação, reunindo e problematizando informações sobre experts em ações e normativas oficiais para a constituição de saberes profissionais, produzindo inventários que possibilitem análises de saberes a ensinar e saberes para ensinar matemática, localizados em livros didáticos e manuais pedagógicos, cadernos e provas escolares, seja dando continuidade à organização da base de dados disponível no repositório digital, realizando encontros para discussão e aprimoramento da pesquisa e socializando dados em eventos científicos e meios de divulgação pertinentes à área. Dentre os resultados a serem obtidos no projeto será elaborada uma obra-síntese que pretende contribuir com o avanço do debate atual, da formação inicial de professores, sobre os saberes profissionais dos docentes que ensinam matemática nos primeiros anos escolares.

Recursos: Fapesp

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Dr. Wagner Rodrigues Valente (responsável pelo projeto)

A pedagogia científica e o ensino de matemática: Um estudo das transformações da cultura escolar do curso primário, São Paulo, 1930-1960

Data: 01/01/2015 - em andamento

O projeto aborda o tema da ?pedagogia científica?, considerando os ensinos de aritmética na escola primária paulista no período 1930-1960. Trata do assunto em três níveis diferentes de estudos: uma pesquisa de mestrado, uma de doutorado e uma pesquisa no nível de pós-doutorado. A problemática mobilizadora dos três níveis refere-se ao estudo das mudanças na cultura escolar do ensino de aritmética diante do impacto da presença da psicologia experimental de base estatística. A investigação utiliza autores vindos da História Cultural e, a cada nível de estudo, lança mão de diferentes fontes para a pesquisa: relatórios de inspetores de ensino, revistas pedagógicas e arquivos do Instituto Jean Jacques Rousseau, em Genebra, Suíça. Intenta-se melhor compreender como foram instaladas determinadas representações no meio pedagógico vigentes até o presente.

Recursos: CNPq

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Dr. Wagner Rodrigues Valente (responsável pelo projeto)

A Pedagogia e as Ciências da Educação no Brasil

Data: 01/01/2017 - em andamento

Trata-se de uma pesquisa teórica sobre a constituição do conhecimento pedagógico e das ciências da educação no Brasil. Examina a trajetória histórica dessas ciências nas inter-relações estabelecidas com o conhecimento pedagógico que orienta as práticas educativas nas escolas públicas brasileiras.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Dr. Umberto de Andrade Pinto (responsável pelo projeto)

A produção e circulação de impressos de destinação educacional nos Estados Unidos do século XIX a início do século XX

Data: 01/01/2016 - em andamento

Examinar onze (11) periódicos educacionais lançados nos Estados Unidos entre o século XIX e início do século XX como ferramentas de conformação do campo pedagógico em âmbito interno e internacional. 2. Identificar e situar, nos periódicos norte-americanos selecionados, as pedagogias as apropriações efetuadas nos Estados Unidos de pedagogias estrangeiras eleitas como "modelos" ou "parâmetros" para suas reformas e práticas escolares.

Recursos: CAPES

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Mirian Jorge Warde (responsável pelo projeto); Profa. Dra. Claudia Panizzolo

A relação entre pares na escola

Data: 01/01/2018 - em andamento

Este projeto de pesquisa focaliza os diferentes aspectos e dimensões envolvidos na relação entre pares na escola. Com a intenção de pôr em foco essa relação, na pesquisa são consideradas as categorias que discursivamente produzem a semelhança implicada toda vez que se supõe existir uma relação entre pares (crianças, alunos, estudantes, adultos, educadores, professores, etc.). São realizadas pesquisas sobre grêmios estudantis, escolas para surdos e "escolas democráticas". etc.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Dr. Daniel Revah (responsável pelo projeto)

 

As Ciências da Educação: processos constitutivos em Portugal e no Brasil

Data: 01/01/2018 - em andamento

A pesquisa tem por objetivo relacionar a trajetória histórica das ciências da educação em Portugal e no Brasil. Insere-se em estudos anteriores que buscam relacionar o campo de conhecimento da pedagogia com o das ciências da educação (Baptista,2016; Dias de Carvalho, 1996; Pimenta, 2011; Pinto, 2011). Parte do princípio que esses dois campos de conhecimento estão intimamente imbricados ao tomarem como objeto de estudo a educação enquanto fenômeno multideterminado, mas ao mesmo tempo se distanciam no modo como se aproximam dos seus objetos de estudo. De que maneira as ciências da educação têm contribuído com as práticas pedagógicas? Como as Ciências da Educação se desenvolveram em Portugal e no Brasil? Como se relacionam os estudos desenvolvidos na área em ambos países? Na busca de respostas a esses questionamentos a pesquisa de abordagem qualitativa será desenvolvida por meio de estudo bibliográfico cotejado por entrevistas com eminentes pesquisadores portugueses da área. No que se refere aos produtos previstos a serem produzidos ao longo do percurso investigativo, podemos citar: 1) submissão até o final do primeiro ano de um artigo científico em revistas registradas na Base.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Dr. Umberto de Andrade Pinto (responsável pelo projeto)

As crianças estão, de fato, alfabetizadas ao final do 3º ano do ensino fundamental? Um estudo da implantação da Meta 5, do PNE 2014/2024

Data: 01/01/2017 - em andamento

O Projeto tem como objetivo acompanhar a implementação da Meta 5, do PNE 2014/2024, qual seja "alfabetizar todas as crianças até o terceiro ano do ensino fundamental", na rede pública estadual de São Paulo, em três municípios da região do Grande São Paulo - São Paulo, Diadema e Guarulhos - e na Escola de Aplicação da Faculdade de Educação da USP. Pretende-se verificar os esforços e os resultados já alcançados na implantação desta Meta do PNE, enquanto ação prioritária da política educacional, considerando-se os critérios adotados de avaliação da aprendizagem, em nível nacional, estadual e municipal (Provas Ana, Brasil, SARESP e Prova da Cidade e os respectivos indicadores IDEB e IDESP). A execução dar-se-á a partir do levantamento bibliográfico e de dados estatísticos, estudo de documentos oficiais e de apoio, bem como por meio de entrevistas com representante das equipes técnicas pedagógicas, professores(as) e alunos(a) do ciclo I do ensino fundamental e observação das práticas das professores no cotidiano escolar, analisando suas concepções de infância, alfabetização, educação da criança e gestão educacional.

Recursos: CNPq

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Márcia Aparecida Jacomini (responsável pelo projeto)

 

As reminiscências das Festas Escolares: suas potencialidades educativas e configuração da cultura das escolas públicas atuais

Data: 01/01/2018 - em andamento

O presente projeto propõe-se a investigar as configurações atuais das comemorações escolares, especialmente nas escolas públicas paulistas, e o papel deste objeto na composição da cultura escolar, bem como suas potencialidades no ensino de conteúdos escolares e comportamentos sociais. As últimas décadas, especialmente a partir dos anos 90 e início de 2000, registraram uma profusão de reformas no âmbito escolar, desde a implementação dos Ciclos e da Progressão Continuada até as últimas diretrizes sobre a organização dos currículos escolares de forma interdisciplinar, medidas que visam a garantia de elementos fundamentais da legislação brasileira como o acesso e a permanência dos alunos nas escolas e a qualidade do processo educativo. Considerando tal panorama a ideia é investigar as relações entre as mudanças nas formas de representar e organizar as festas escolares e as possibilidades educativas que essas ações possibilitam aos alunos e aos professores. Historicamente constituídas como elemento divulgador das ações políticas relacionadas ao ensino e as práticas pedagógicas do sistema público, laico e democrático de ensino, as comemorações escolares tiveram seus sentidos reconfigurados para servirem a distintos propósitos sociais, educativos e políticos na viragem do século XIX para o XX. Na proposta - em andamento de pesquisa, as questões que se apresentam são: como se comemora nas escolas públicas nos dias de hoje? Quais seus usos e configurações? Qual seu potencial metodológico para educar as crianças? Quais conteúdos escolares ela referencia? Qual representação de escola, professor e alunos ela pretende veicular? As festas escolares ainda podem ser consideradas educativas? Tais questões serão investigadas mediante o exame dos documentos legais que organizam o ensino no Estado de São Paulo, dos Regimentos Escolares, de Projetos Pedagógicos e Planos Diretores, bem como de entrevistas com gestores, professores e alunos de diferentes escolas públicas.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Renata Marcílio Cândido (responsável pelo projeto)

 

Ações de enfrentamento ao bullying e à discriminação na escola pública - Núcleo Guarulhos

Data: 01/02/2021 - em andamento

O objetivo geral deste projeto é desenvolver a inclusão escolar em escolas públicas do Estado de São Paulo, com o consequente questionamento das hierarquias sociais, no que trazem de contribuição à violência escolar entre pares nas escolas, sobretudo, o bullying e o preconceito (discriminação). Para cumprir esse objetivo serão propostas atividades a serem desenvolvidas nas escolas e a verificação de seus efeitos sobre a diminuição ou não do bullying e do preconceito, assim como, sobre tendências autoritárias e heterônomas nos alunos. Teremos avaliações prévias e posteriores ao desenvolvimento daquelas atividades do grau de inclusão escolar, do bullying e preconceito existentes, e das tendências dos alunos ao autoritarismo e heteronomia. Este projeto será desenvolvido por meio dos seguintes eixos: 1- Educação Inclusiva; 2-Hierarquias Escolares; 3- Autoritarismo e Autonomia; e 4- Bullying e preconceito. Para o desenvolvimento de cada um deles, serão discutidos, com os educadores escolares (gestores e professores), textos específicos sobre cada uma das temáticas; serão realizadas discussões com o corpo docente e com o corpo discente e será proposta a participação das escolas no Observatório da Violência Escolar.

Recursos: Fapesp

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Marian Ávila de Lima e Dias (responsável pelo projeto)

Alfabetização científica e as metodologias ativas de ensino: contribuições para o processo de ensino e aprendizagem

Data: 01/01/2018 - em andamento

Neste projeto pretende-se investigar as ações didáticas que possam contribuir no processo de alfabetização científica da educação básica. Como objetivos associados temos: relacionar os processos de construção de conceitos científicos, do conhecimento escolar e do conhecimento quotidiano e caracterizar metodologias ativas relevantes para o ensino contextualizado e a alfabetização científica.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Jerusa Vilhena de Moraes (responsável pelo projeto)

Aprendizagem da docência em Matemática: contribuições da Teoria Histórico-Cultural

Data: 01/01/2013 - em andamento

A partir das contribuições teóricas da perspectiva Histórico-cultural, em especial, Vigotski, Leontiev e Davidov, busca-se compreender os processos de aprendizagem da docência em Matemática em atividade de ensino. Investiga-se tanto a formação inicial quanto a continuada de professores em situação de trabalho docente caracterizado pela necessidade de organização do ensino, tendo como referencial para essa organização a prática docente.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Vanessa Dias Moretti (responsável pelo projeto)

 

Aprendizagem e permanência na escola: políticas e práticas

Data: 01/01/2018 - em andamento

Trata-se da terceira etapa de uma investigação que vem estudando fatores que facilitam ou dificultam tanto a aprendizagem quanto a permanência de crianças e jovens na escola. Nessa etapa da investigação, o foco estará em práticas escolares que derivem ou não de políticas educacionais.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Regina Cândida Ellero Gualtieri (responsável pelo projeto)

 

Atividades laborais e profissionalizantes no âmbito das Penitenciárias do Sistema Prisional do Estado de São Paulo

Data: 01/02/2020 - em andamento

O objetivo geral da pesquisa é o de mapear e organizar informações relativas ao campo da Educação e Trabalho no interior das 87 penitenciárias do Sistema Prisional do Estado de São Paulo. Os dados organizados serão direcionados ao Observatório dos Direitos Educativos da População Carcerária, constituído pela Unifesp, a fim de compor um vasto banco de dados sobre políticas e ações destinadas à população carcerária, assim como a produção de novos conhecimentos sobre essa condição. Para essa pesquisa, temos como objetivo específico a investigação de atividades laborais e profissionalizantes planejadas e em execução, no período de 2016 a 2020, nas unidades 87 penitenciárias do Sistema Prisional do Estado de São Paulo. As informações serão coletadas por meio de pesquisa documental e bibliográfica. Inicialmente as atividades serão relativas aos apenados/as em regime fechado. No que diz respeito à categoria trabalho, é importante destacar que em uma concepção que pressupõe seu caráter ontológico e histórico, esperamos analisar os dados coletados das políticas do trabalho e da educação profissionalizante dos presos/as como expressão dessa dualidade, considerando as concepções postas pelas políticas e as condições objetivas sob as quais as atividades laborais e profissionalizantes se desenvolvem. Ao final da pesquisa, esperamos organizar um quadro que: 1. Delimite as legislações e as políticas federais e estaduais, no caso, do Estado de São Paulo; 2. Contextualize as unidades estudadas e o perfil da população carcerária atendida 3. Analise as legislações e políticas no que dizem respeito ao trabalho e cursos profissionalizantes 4. Apresente, de forma sistematizada, as atividades laborais e profissionalizantes que se desenvolveram e estão planejadas para o período de 2016 a 2020, em cada unidade prisional.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Claudia Barcelos de Moura Abreu (responsável pelo projeto)

Banca da Ciência: formação de professores, produção de conhecimento e divulgação científica

Data: 26/10/2019 - em andamento

Banca da Ciência é um projeto de investigação-ação de difusão e educação em ciências com foco no público escolar a partir do sexto ano do Ensino Fundamental até o final do Ensino Médio. Tem como característica a abordagem lúdica de temas científicos em conexão com questões sociais e manifestações artístico-culturais por meio de intervenções não-formais contínuas (clubes de ciências, projetos escolares, clubes literários, etc.) em articulação com o currículo escolar bem como mediante ações pontuais de exposições, workshops, feiras científicas, dinâmicas e atividades em espaços públicos diversos como escolas, centro culturais, parques, estações, praças, planetários, etc. e de ações de intervenção no espaço escolar articuladas com a formação continuada de professores.

Recursos: MEC - MCTIC - CNPq - CAPES

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Dr. Emerson Izidoro dos Santos (responsável pelo projeto); Profa. Dra. Adriana Regina Braga

Bullying e Preconceito: distinções e relações - estudo de textos

Data: 01/02/2019 - em andamento

A partir de literatura especializada da área de estudos sobre bullying e preconceito, de análises de obras dos pensadores da Escola de Frankfurt, os objetivos deste projeto são: distinguir duas formas de violência escolar – o bullying e o preconceito - e relacioná-las com distintos tipos de personalidade. Para isso, examinaremos duas obras dos frankfurtianos referentes à violência social – Elementos do Antissemitismo, de Horkheimer e Adorno, e alguns capítulos de The Authoritarian Personality, de Adorno et al., quanto à delimitação de distintas formas de violência subjacentes ao fenômeno estudado por eles – o autoritarismo. Tem-se como hipótese que os autores de ambas as obras não discriminam o preconceito de um tipo de violência que está subjacente ao que hoje nomeamos de bullying, e que a descrição que fazem caracteriza mais esse último tipo de violência do que o preconceito. Para isso, em um primeiro momento, serão selecionados trechos de ambas as obras que trazem indicações daquelas formas de violência; depois da verificação da concordância dos pesquisadores, os trechos serão classificados como próprios ao bullying e/ou ao preconceito, ou a nenhum deles; após essa classificação, será verificada a concordância entre os juízes. Pela quantidade e pelo conteúdo dos trechos examinados e classificados como bullying e/ou como preconceito, aquelas hipóteses poderão ser testadas, o que contribuirá para a compreensão das distinções e das relações entre ambos os fenômenos.

Recursos: Unifesp

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Marian Ávila de Lima e Dias (responsável pelo projeto)

Culturas docentes no Brasil e na Argentina (1960-2015)

Data: 01/01/2016 - em andamento

Este projeto estuda as transformações da cultura docente em ambos países desde a década de 1960 e a sua relação com as mudanças políticas e culturais do período. A investigação prioriza a pesquisa em periódicos educacionais dirigidos aos docentes da educação básica. Toma-se como principal base teórica os pressupostos da nova história cultural e o campo conceitual da psicanálise.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Dr. Daniel Revah (responsável pelo projeto)

 

Educação inclusiva: conexões entre diversidades, deficiências e migrações

Data: 01/02/2020 - em andamento

Este projeto de pesquisa diz respeito à presença de crianças bolivianas e haitianas com deficiência matriculadas em escolas públicas de São Paulo e de Guarulhos. Esta é uma proposta que se configurou após intenso trabalho de campo exigido na pesquisa que investigava a referência a laudos e perícias médicas no cotidiano escolar. Nessa experiência, tornou-se evidente que diversidade e deficiências eram palavras que, naquele universo, passavam por um processo semelhante àquele que Paulo Arantes denominou de deslizamento semântico, referindo-se ao modo como palavras chave de um campo político estavam presentes nas narrativas de sujeitos com diferentes perspectivas. Tudo sugeria que, em dadas circunstâncias, diversidade tornava-se palavra usada como sinônimo de deficiência. Tornou-se plausível explicitar tais intenções de pesquisa porque, antes, foi possível identificar em situações presenciadas de perto, a associação entre os temas migração e deficiência, associação essa reiteradamente usada para exemplificar problemas do encontro entre escola e diversidade. Este projeto, portanto, decorre e se beneficia de outras pesquisas realizadas, no âmbito das quais se percebia que a palavra diversidade havia sido apropriada e refeita. Esta pesquisa se realiza em escolas públicas do Bairro do Brás, da Vila Fanton do Distrito de Perus, todas na cidade de São Paulo e do Bairro dos Pimentas, da cidade de Guarulhos. A base territorial do projeto foi definida considerando o expressivo número de bolivianos e haitianos matriculados e porque foi possível registrar nesses locais o uso e apropriação da palavra diversidade como unidade significativa, ou seja, como discurso que permanentemente tensiona as perspectivas de inclusão. Diversidade, neste projeto, diz respeito ao modo como a palavra tem sido apropriada de dentro para fora da escola. Está relacionada ao uso ordinário que adquire para sinalizar um sentido de diverso, sentido esse marcado pela distância que se projeta entre quem aponta e quem é apontado. Foi possível recolher indícios consistentes de que em muitas situações crianças bolivianas e haitianas têm sido interpeladas com um pressuposto, o de que são crianças com algum tipo de deficiência. Como há uma prévia base empírica formada em observações anteriores, o que se propõe neste projeto é uma investigação detida que expanda e adense essa base, com pelo menos cinco semestres de observação contínua, de modo a reconhecer como, em circunstâncias específicas, os repertórios descritivos das dificuldades inerentes à condição de migrante se tornam repertórios utilizados para descrever dificuldades na escolarização de crianças com deficiência.

Recursos: CNPq

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Dr. Marcos Cezar de Freitas (responsável pelo projeto)

EDUCINEP: Educação Inclusiva na Escola Pública

Data: 01/01/2010 - em andamento

O projeto Educação Inclusiva na Escola Pública (EDUCINEP) investiga, em perspectiva antropológica, a escolarização de crianças com deficiências e cronicamente enfermas no âmbito da escola pública. A perspectiva de investigação e análise tem base antropológica e esses temas têm intersecções com questões associadas à diversidade cultural e às assimetrias sociais. Resultados de pesquisas feitas com escolas públicas são depositados em repositório institucional denominado Plataforma de Saberes Inclusivos, para que possam ser compartilhados. Metodologicamente, a maior parte das pesquisas realizadas no âmbito do EDUCINEP são experiências etnográficas. As orientações de dissertações e teses que se conectam ao EDUCINEP abrangem pesquisas que têm por objeto a interação entre cenários, por exemplo, entre escola pública e ambulatórios de reabilitação, entre sala comum e espaços de AEE, entre a rua e os territórios institucionais. O tema deficiência é abordado como experiência que se concretiza nos modos e possibilidades de estar, permanecer e deslocar-se.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Dr. Marcos Cezar de Freitas (responsável pelo projeto)

Egressos de cursos de licenciaturas e inserção profissional na docência em territórios de alta vulnerabilidade

Data: 23/06/2019 - em andamento

O foco da pesquisa é conhecer como egressos dos cursos de Licenciaturas que atuam em classes dos anos iniciais do ensino fundamental em escolas públicas da rede estadual ou municipal de ensino, vivenciam os primeiros anos de inserção no magistério. O objetivo principal é identificar elementos que caracterizam seu preparo para a iniciação na profissão em regiões de alta vulnerabilidade. A amplitude do universo de pesquisa é demarcada pelo que estamos denominando de Região do Alto Tietê/Cabeceiras que compreende os municípios de Mogi das Cruzes, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Poá, Suzano, Biritiba Mirim, Salesópolis, Santa Isabel, Guarulhos, Arujá e parte da região leste do município de São Paulo. Com o desenvolvimento da pesquisa espera-se alcançar os seguintes objetivos específicos: a) reunir informações da região, descrevendo suas características quanto aos sistemas educacionais, dados sócio econômicos e índices de vulnerabilidade; b) organizar dados das escolas da região e traçar perfil de professores que atuam nos anos iniciais do ensino fundamental; c) identificar professores que se encontram no início da carreira, aspectos que caracterizam o seu preparo para a iniciação na profissão em regiões de alta vulnerabilidade e relacionar dados sobre inserção profissional e desistência da carreira. Trata-se de pesquisa teórico-empírica, de abordagem qualitativa, cuja produção de dados se dará por meio de survey e entrevistas semiestruturadas. O grupo responsável pela investigação é composto por pesquisadores doutores, mestres, doutorandos, mestrandos e professores da rede municipal e estadual de ensino. Durante o desenvolvimento da pesquisa será organizada plataforma digital pública para criação de repositório de dados (legislação, produções científicas nacionais e internacionais; dados da própria pesquisa) com vistas à criação de um Observatório de Inserção Profissional, Desenvolvimento Profissional Docente e Inovação Pedagógica. Espera-se com os resultados da pesquisa produzir indicadores indutores de políticas públicas municipais relacionadas ao ingresso na carreira e à formação de professores.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Magali Aparecida Silvestre (responsável pelo projeto); Prof. Dr. Jorge Luiz Barcellos da Silva

 

Estudos de  Revisão em Educação: tipologias e tendências metodológicas (2000-2016)

Data: 01/01/2018 - em andamento

A consolidação de uma área ou campo de conhecimento requer atenção constante dos pesquisadores sobre sua produção científico-acadêmica. Nesse sentido, estudos de revisão são importantes fontes de informação sobre o estado do conhecimento, das tendências de pesquisas, suas contribuições para os avanços da área, como também suas possíveis fragilidades. Os estudos de revisão englobam todo tipo de pesquisa que tem como objeto a produção acadêmica de uma área, um campo de conhecimento ou uma temática específica, dentro de um recorte temporal e espacial. Um número significativo de pesquisas sobre a produção acadêmica em educação tem sido realizado nos últimos anos, contudo, ainda são poucas as investigações sobre as características dos estudos de revisão nesta área e os modos como eles vêm sendo apropriados ou até mesmo ressignificados. São diversas as denominações atribuídas as esses estudos: estado da arte, estado do conhecimento, revisão bibliografica, revisão de literatura, levantamento bibliográfico, revisão de produção acadêmica, revisão sistemática, metanálise, metapesquisa, estudo bibliométrico etc. Também em relação à abordagem metodológica os estudos dessa natureza guardam semelhanças e especificidades. Todavia, não dispomos de análises sistemáticas, resultantes de investigação, que informem quais abordagens e procedimentos têm caracterizado esse tipo de estudo em educação e que contribuições tem trazido para o campo. Face a isto, este projeto elegeu como objeto de pesquisa estudos de revisão na área de educação, no período de 2000-2016. Para o seu desenvolvimento foi definido como corpus a produção publicada em formato de livro, artigos das revistas de educação nacionais registradas no scielo e a Série Estado do Conhecimento do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anício Teixeira (INEP). O objetivo é estudar os trabalhos que pesquisam a produção acadêmica (estudos de revisão), a partir de um conjunto específico de trabalhos selecionados, identificando e analisando as diferentes denominações e enfoques metodológicos, suas apropriações ou ressignificações e indicar as tendências, as potencialidades e os desafios que se apresentam à área de educação, frente a esse tipo de pesquisa. Para tal, será realizada uma revisão sistemática, com foco na abordagem metodológica, elemento essencial para caracterizar os diversos tipos de estudos de revisão, assim como na contribuição dos trabalhos sobre a produção acadêmica. Pretende-se, ao final da pesquisa, ter construído um panorama sobre os estudos de revisão, com a apresentação dos diferentes tipos de pesquisa, os aspectos metodológicos que os caracterizam e o que os diferencia entre si, de forma a indicar as potencialidades e os desafios que se apresentam para esse tipo de pesquisa na área de educação.

Recursos: CAPES

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Márcia Aparecida Jacomini (responsável pelo projeto); Profa. Dra. Isabel Melero Bello; Profa. Dra. Marieta Gouvêa de Oliveira Penna

Exercício docente e organização do trabalho pedagógico na escola

Data: 01/01/2016 - em andamento

Este projeto de pesquisa para realização de estágio de pós-doutorado tem por tema o exercício docente, com foco específico na organização do trabalho pedagógico escolar e nas relações estabelecidas entre professores e gestores. O objetivo é compreender como se dá a reorganização do trabalho escolar a partir da introdução de novos mecanismos de gestão nas escolas, bem como o sentido atribuído ao trabalho pedagógico escolar por professores e pela equipe de gestão, investigando disposições constituidoras do habitus.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Marieta Gouvea de Oliveira Penna (responsável pelo projeto); Profa. Dra. Isabel Melero Bello

 

Filosofia das diferenças, transversão epistemológica e o devir-outro na educação

Data: 01/07/2016 - em andamento

Este projeto centra-se na investigação de um conjunto de problemáticas em torno das diferenças e das constituições de subjetividades no tocante às experiências com o pensamento e com as ações educativas. Por intermédio da filosofia das diferenças, procura-se questionar a tradição epistemológica que estruturou e solidificou um tipo de relação específica do conhecimento e dos saberes com as experiências educacionais, reduzindo as suas perspectivas. O objetivo geral é a produção e difusão de conhecimento para a interlocução da dimensão analítico-conceitual da filosofia com o campo da educação, principalmente no sentido de contribuir com intercessores que sejam potências problematizadoras, criativas e experimentais do/no universo educacional. A hipótese geral que orienta a pesquisa é a de que a produção de conhecimento, eivada do estudo das diferenças e das constituições de subjetividades, pode instigar à transvaloração dos valores, das ações, dos discursos e das perspectivas homodidáticas, homotópicas, repetitivas e normalizadoras presentes no cenário da educação. Assim, busca-se dar lugar às relações e às experiências educativas de (com)posições mais abertas, fluidas, heteroplásticas, múltiplas e singulares, permitindo a emersão de espaços e de acontecimentos que não intencionem estancar o devir-outro na educação. Para tanto, será objeto de estudo a filosofia das diferenças cujo lastro mais significativo, para efeito de delimitação metodológica, circunscreve-se aos pensamentos de Deleuze, Guattari, Foucault e Nietzsche.

Recursos: Fapesp

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Dr. Alexandre Filordi de Carvalho (responsável pelo projeto)

Fins da Universidade Pública e Formação no Brasil: análise baseada na produção científica sobre o tema

Data: 01/02/2020 - em andamento

Este projeto de pesquisa de pós-doutoramento tem o objetivo de analisar os fins da universidade pública e o conceito de formação superior contemporâneos, tendo como ponto de partida o mapeamento da produção acadêmica voltada ao tema, em artigos publicados entre os anos de 2010 e 2019 em periódicos científicos brasileiros. A pesquisa vincula-se ao Projeto Temático Formação e educação, tecnologia e profissionalização, na sociedade industrial do capitalismo tardio, coordenado pelo Prof. Dr. Odair Sass, professor e pesquisador do Programa de estudos pós-graduados em Educação: História, Política, Sociedade da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, no âmbito da linha de pesquisa Teoria crítica da sociedade e formação: função social da educação e da escola.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Maria Angélica Pedra Minhoto (responsável pelo projeto)

Formação e trabalho em tempos de avaliação: impactos dos indicadores na educação

Data: 01/01/2018 - em andamento

A pesquisa investiga como os indicadores de qualidade educacional e as avaliações em larga escala interferem na formação de estudantes e de professores e no trabalho de educador em todas as etapas da educação no Brasil e em diferentes países do mundo.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Maria Angélica Pedra Minhoto (responsável pelo projeto)

Gestão educacional e políticas públicas da educação. A educação do trabalhador e a gestão do conhecimento na escola pública

Data: 01/01/2016 - em andamento

O projeto de pesquisa envolve estudos e balanços sobre aspectos da gestão educacional pública tendo em vista as políticas públicas de educação que impactam a organização da escola básica, seus currículos, a formação de professores e a atuação dos gestores. A partir do acompanhamento, em tempo real, das mudanças das políticas governamentais e das alterações legislativas, o projeto busca acompanhar o comportamento das políticas locais e as respostas dos agentes que atuam no território produzindo soluções práticas de enfrentamento aos problemas e ou imprimindo estilos de gestão que se aproximam ou distanciam da possibilidade de concretização do Projeto Pedagógico da Escola como documento de identidade e política educativa destinada ao atendimento de grupos sociais presentes nelas. Busca-se no processo de estudo, a produção de um inventário das formas de enfrentamento aos problemas pelos diretores de escola e suas equipes no cotidiano, mapeando experiências atuais ou pregressas que possam fomentar a produção de um Banco de Casos a ser constituído como fonte na vertente da gestão do conhecimento da gestão na escola - ou seja - abordar tais práticas num quadro de conhecimentos tácitos dos gestores que podem ser sistematizados, tratados e partilhados com os mesmos como formação continuada em situação, estimulando não só a produção cientifica do campo, mas a atuação profissional e política na área da gestão escolar.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Celia Maria Benedicto Giglio (responsável pelo projeto)

 

História da educação infantil em São Paulo entre prescrições e apropriações

Data: 01/01/2013 - em andamento

O objetivo da pesquisa é o estudo e a pesquisa da criação e instalação de instituições educativas em São Paulo, bem como das concepções educacionais e as políticas para a educação das crianças, os currículos, os materiais escolares, os registros diários da prática docente, os aparatos, a distribuição dos tempos e espaços, a arquitetura, os objetos, as brincadeiras, a formação de professores da infância, sua formação inicial, continuada, acesso à carreira, atuação e remuneração.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Claudia Panizzolo (responsável pelo projeto)

História do ensino de língua e literatura no Brasil

Data: 01/10/2017 - em andamento

Em decorrência das atividades do Programa de Pesquisa e do Grupo de Pesquisa "História do Ensino de Língua e Literatura no Brasil", ambos em funcionamento desde 1994, e visando a contribuir para a produção de uma história desse ensino, elaborou-se, em 1995, este projeto integrado de pesquisa, cujo objetivo é produzir uma história do ensino de língua e literatura no Brasil, elegendo como objetos de investigação aspectos pontuais, no âmbito de cada uma das cinco linhas de pesquisa em que se subdivide a temática geral, com base em fontes documentais produzidas por brasileiros, desde o período colonial brasileiro até os dias atuais, com ênfase na situação do estado de São Paulo, a partir do final do século XIX. Tais opções justificam-se pelo fato de que são ainda escassas as que abordam, de uma perspectiva histórica e lastreadas em fontes documentais, o ensino de língua e literatura, nos níveis de ensino e período histórico aqui proposto. A equipe executora é constituída de pesquisadores e estudantes, além da coordenadora, todos desenvolvendo projetos de pesquisa individuais, vinculados à temática geral e ao método de abordagem proposto. E, devido a suas características e dinâmica de funcionamento, este projeto integrado de pesquisa tem duração prevista para um período relativamente longo, comportando cronograma relativamente aberto, organizado em etapas trienais, cada uma delas, por sua vez, comportando seis etapas semestrais. Até o ano de 2012 foram concluídas sete etapas trienais, correspondentes aos seguintes períodos: 1995-1997 (I); 1998-2000 (II); 2001-2003 (III); 2004-2006 (IV); 2007-2009 (V); 2010-2012 (VI); 2013-2015. Como principais resultados, foram e serão concluídos trabalhos acadêmicos de graduação, especialização, mestrado e doutorado assim como foram e serão publicados livros, capítulos, artigos e trabalhos resultantes de apresentação em eventos.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Fernando Rodrigues de Oliveira (responsável pelo projeto); Profa. Dra. Claudia Lemos Vóvio; Márcia Cristina Romero Lopes

Internacionalização e nacionalização de projetos educacionais: de 1850 a 1940

Data: 01/01/2013 - em andamento

Os objetivos gerais deste projeto são: 1) reconstruir o processo complementar de configuração dos padrões pedagógicos e escolares no Brasil, entre meados do século XIX ao pré-Segunda Guerra Mundial; 2) situar esse processo no movimento de internacionalização-nacionalização dos padrões referidos; 3) introduzir novos referentes interpretativos. Quanto aos objetivos específicos deste subprojeto, destacam-se: 1) reconstruir o processo complementar de configuração dos padrões pedagógicos e escolares no Brasil, entre meados do século XIX ao pré-Segunda Guerra Mundial; 2) examinar as iniciativas dos governos no período indicado no que tange à modelação das práticas educacionais; 3) examinar as proposições de configuração da educação oriundas de redes intelectuais e políticas (jornais, associações profissionais e científicas, agremiações operárias e outros).

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Mirian Jorge Warde (responsável pelo projeto)

 

Letramentos e pedagogias decoloniais no processo de remição penal pela leitura: vozes de pessoas encarceradas, de mediadores de leitura e daquelas representadas na literatura

Data: 01/02/2020 - em andamento

Esta investigação encontra-se integrada ao Projeto de Extensão universitária Remição penal pela leitura: dos direitos Educativos ao acesso à justiça (Unifesp). Pretende investigar as práticas de letramento que visam remir penas por meio do acesso a textos literários e produção de resenhas de pessoas encarceradas e em processo de alfabetização, bem como aquelas decorrentes do processo de mediação de leitura e de produção de resenhas, desenvolvidas por docentes e graduandos-extensionistas. Interessa-nos, em especial, os significados atribuídos a essas práticas pelo conjunto dos participantes, bem como os modos de interação e discursos dos mediadores e participantes dessas rodas. Ao abranger a análise de processos educativos que se dão no interior do sistema prisional junto a pessoas encarceradas, inevitavelmente deparamo-nos, por um lado, com processos de subalternização, marginalização, estigmatização e silenciamento desses sujeitos, e, de outro, com processos nos quais pessoas privadas da possibilidade de ter voz, usufruem de oportunidades de refletir, comentar e escrever sobre obras literárias, extrapolando as grades da prisão, se fazendo presentes nas esferas acadêmico-científica e jurídicas, por meio de seus textos. Estes últimos são considerados como lóci enunciativos, onde se formulam conhecimentos a partir de experiências, cosmovisões e perspectivas de sujeitos subalternizados em interação como nos propõe Bernardino-Costa e Grosfoguel (2016). Pretendemos, especificamente, estabelecer um quadro descritivo-analítico das práticas de letramento que se instanciam nas ações desse Projeto de extensão (sejam aquelas advindas do conjunto dos mediadores, sejam aquelas advindas do conjunto dos participantes das rodas, sejam aquelas relacionadas aos agentes que atuam diretamente na condução desses processos no âmbito jurídico), documentar questões recorrentes, estratégias e desafios e/ou oportunidades advindos da participação nessas práticas e tecer compreensões sobre os significados que mediadores e encarcerados atribuem as essas práticas, para além do estabelecido nas normatizações jurídicas, e refletir sobre a possibilidade de desencarcerar vozes, por meio, de pedagogias decoloniais que tenham em seu horizonte o compromisso ético e político com o questionamento das diferenças e desigualdades sociais e com o empoderamento daqueles que foram historicamente e sistematicamente postos na condição de subalternos.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Claudia Lemos Vóvio (responsável pelo projeto)

Literatura infantil e juvenil brasileira revisitada: temas, formas, finalidades e valor histórico, cultural e estético da produção literária nos séculos XIX e XX

Data: 01/01/2018 - em andamento

O projeto tem como objetivo revisitar aspectos da história da literatura infantil brasileira mediante a compreensão dos temas, formas, finalidades e valor histórico, cultural e estético dos livros desse gênero produzidos no país entre os séculos XIX e XX. Trata-se de uma pesquisa pautada no estudo de autores e obras que ainda se encontram inexplorados do ponto de vista da investigação acadêmico-científica ou que são comumente consideradas pela historiografia corrente como parte de uma produção literária de valor estético menor ou questionável (seja pelas marcas de vinculação a determinados projetos de escola e de sociedade, seja pelas marcas de uma produção artística na lógica da indústria cultural). Pretende-se com esse projeto: propor um movimento de revisitação da literatura infantil brasileira, a fim de se compreender aspectos ainda não tocados pela história corrente desse gênero; promover a compreensão do sentido estético das obras produzidas entre os séculos XIX e XX na sua relação com determinadas concepções de infância, sociedade e de leitura; contribuir para o levantamento dos diferentes tipos de livros que circularam e/ou ?funcionaram? como literatura infantil e juvenil no país; promover a formação de pesquisadores interessados no estudo da história desse gênero literário; e colaborar para o desenvolvimento de pesquisas correlatas. Para o desenvolvimento deste projeto de pesquisa tem-se com fundamento as contribuições da História Cultural, especialmente a História do Livro e das Edições, e a Análise do Discurso, mediante o uso de procedimentos, como: localização, recuperação, reunião, seleção, ordenação e análise da configuração textual de livros que integram o patrimônio histórico da literatura infantil e juvenil brasileira e de outras fontes documentais que possibilitem (re)pensar a história desse gênero. Devido a amplitude das possibilidades investigativas com relação à produção de livros de literatura infantil e juvenil, a pesquisa tem como base privilegiada, mas não restrita, o acervo da Biblioteca Infantil do Instituto de Educação ?Caetano de Campos?, biblioteca essa criada em 1925 e que se pretendeu exemplar na constituição de bibliotecas infantis e escolares por estar vinculada a uma das principais instituições de formação de professores do país. Para se consolidar o objetivo deste projeto, vinculam-se a ele pesquisas individuais de autoria dos integrantes da equipe executora, todas associadas à temática, ao objetivo geral e às opções teórico-metodológicas aqui delimitados.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Dr. Fernando Rodrigues de Oliveira (responsável pelo projeto)

Modelos de formação continuada para professores da educação básica: sentidos e usos

Data: 01/01/2018 - em andamento

Este projeto tem como objetivo investigar os modelos de formação continuada destinados aos professores da educação básica pública em funcionamento no Brasil entre os anos 2000 a 2018. Tal objetivo volta-se para a meta de compreender como o Brasil se apropriou dos modelos em circulação em países centrais e quais os sentidos atribuídos à ideia de "formação continuada". Nesse sentido, serão analisados modelos de municípios e estados da federação, assim como se fará uma análise sobre a produção acadêmica e a legislação que orientou tal tipo de formação. Com os resultados da pesquisa pretende-se trazer à luz elementos que esclareçam se realmente esse tipo de formação vem contribuindo na formação de professores da educação básica e nas suas práticas em sala de aula ou se esse processo transformou-se em um grande mercado educacional.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Isabel Melero Bello (responsável pelo projeto)

Net-ativismo e redes sociais: consistências e fragilidades das linguagens hipermidiáticas da cibercultura para os processos formativos contemporâneos

Data: 01/01/2018 - em andamento

Considerando a atual momento histórico, em que se observa diversas práticas sociais exercidas num híbrido entre cultura e cibercultura, o projeto de pesquisa busca investigar as consistências e as fragilidades das linguagens hipermidiáticas veiculadas nas redes sociais para os processos formativos contemporâneos, com destaque para os processos educacionais, formais e não formais. No tocante ao aporte teórico é dado destaque a conceitos como dialogismo (bakhtiniano), interação dialógica e empoderamento (freireano), agir comunicativo (habermasiano), bem como aos estudos e pesquisas sobre a esfera pública do século XXI e net-ativismo. O projeto enseja pesquisas exploratórias sobre a utilização das redes sociais da cibercultura (Blogs, Facebook, Twitter, Youtube etc.) voltada ao net-ativismo, ao empoderamento de grupos sociais e ao exercício pleno da cidadania. O projeto busca responder a seguinte questão norteadora: quais elementos das RS podem ser considerados como contribuintes ao net-ativismo, ao empoderamento de grupos sociais e ao exercício pleno da cidadania?.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Lucila Maria Pesce de Oliveira (responsável pelo projeto)

O Desenvolvimento do Pensamento Algébrico nos/para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental

Data: 01/01/2018 - em andamento

A pesquisa assume como problemática o desenvolvimento do pensamento algébrico nos e para os anos Iniciais do Ensino Fundamental. Nesse contexto, essa pesquisa se propõe a investigar a possibilidade de desenvolvimento do pensamento algébrico de professores que ensinam matemática e/ou estudantes dos anos iniciais. No caso dos professores, investiga-se também qual a implicação desse movimento para a organização do ensino da matemática potencializador da apropriação de noções algébricas para os anos iniciais.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Vanessa Dias Moretti (responsável pelo projeto)

O ensino de língua portuguesa e de literatura em perspectiva histórica (séculos XX e XXI): prescrições práticas, materiais didáticos, projetos político-educacionais e saberes em circulação

Data: 01/01/2018 - em andamento

Este Projeto Integrado de pesquisa consiste numa investigação de abordagem histórica sobre as tematizações, normatizações e concretizações relativas ao ensinar e aprender língua portuguesa e literatura no Brasil, a partir da instauração da República. A pesquisa objetiva contribuir para a produção de uma história do ensino de língua portuguesa e de literatura na escolarização brasileira, centrando-se em aspectos ainda inexplorados dessa história mediante quatro eixos temáticos e investigativos: o das prescrições curriculares e metodológicas; o da produção, circulação e utilização de materiais didáticos destinados aos diferentes níveis e modalidades de ensino; o dos processos de elaboração e execução de projetos político-educacionais voltados ou que tangenciam a formação de usuários da língua portuguesa, como língua materna, e de leitores do texto literário; e o da circulação de saberes teóricos e pedagógicos aplicados ao campo do ensino e aprendizagem da língua e da literatura. O projeto tem como base fontes documentais produzidas no Brasil ao longo do século XX e início do século XXI e fundamenta-se nas contribuições da História Cultural e da Nova História Política, com especial atenção para a História do Livro e das Edições, História do Currículo e das Disciplinas escolares e História dos Intelectuais. A amplitude do projeto se justifica por sua composição decorrente de pesquisa individuais, produzidas por seus integrantes e coordenador, e todas elas vinculadas à temática, ao objetivo geral e à perspectiva teórico-metodológica aqui explicitados. Em diálogo direto com outros projetos de pesquisa de mesma temática, espera-se colaborar com a produção de uma análise sistemática e integradora da história do ensino e da aprendizagem da língua portuguesa e da literatura no país, incidindo, também, na formação de pesquisadores sensíveis a esse campo investigativo.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Dr. Fernando Rodrigues de Oliveira (responsável pelo projeto)

O ethos da escola seletiva: um estudo de publicações voltadas para a organização escolar e a formação docente (1930-1960)

Data: 01/01/2018 - em andamento

As teorias explicativas para o mau desempenho escolar, nos vários momentos históricos, são elaboradas e divulgadas, contribuindo para construir um ethos que orienta as práticas dos professores em sua ação cotidiana. Este projeto investiga, numa perspectiva histórica, a construção e a permanência de um ethos pedagógico, de elementos valorativos que se expressam na responsabilização da própria criança pelas dificuldades escolares, atribuídas a sua condição orgânica, psicológica, familiar ou social, e na menor participação da escola e do próprio sistema, nessa responsabilidade. Para isso, analisa publicações voltadas para a organização escolar e a formação docente, no Brasil, entre os anos 1930 e 1960, período em que diferentes teorias explicativas e com fundamentos variados (biológicos, psicológicos, psicanalíticos e sociológicos) para o insucesso escolar ganharam nitidez e contribuíram para consolidar determinado ethos.

Recursos: Fapesp

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Regina Cândida Ellero Gualtieri (responsável pelo projeto); Profa. Dra. Renata Marcílio Cândido

 

O processo escolar entre italianos e seus descendentes: a escola italiana em São Paulo, no século XIX e início do século XX

Data: 01/01/2015 - em andamento

No fim do século XIX e no começo do século XX, São Paulo era uma das maiores cidades de imigração do mundo. Entre 1880 e 1924, entraram no Brasil 3.396.366 imigrantes, dos quais 1.331.158 eram italianos, o que corresponde a mais de 39% do total de imigrantes. De acordo com Hall (2004) dos 4,8 milhões de pessoas que vieram para o Brasil entre 1820 e 1949, mais da metade entrou pelo Estado de São Paulo e foram levadas principalmente para as fazendas de café paulistas e para os núcleos de colonização no sul e sudeste do país. Em 1893, 54,6% da população da capital paulista era estrangeira, sendo destes 34% de italianos, presença impactante e que deixava sinais na fisionomia do tecido urbano. Esses homens, mulheres e crianças, que genericamente são denominados italianos, ou imigrantes da Península, quando para cá vieram apresentavam como traço distintivo o regionalismo, mantido inclusive na escolha do bairro onde residiam, assim no bairro do Bexiga se concentravam os calabreses, no Bom Retiro os vênetos e no Brás, os apulienses. A presente pesquisa tem por objetivo investigar o processo escolar entre imigrantes italianos e descendentes estabelecidos em São Paulo, capital, entre as últimas três décadas do século XIX e as duas primeiras décadas do século XX, tanto nas escolas étnicas quanto nas escolas públicas que freqüentaram, nos diferentes bairros por eles habitados. As escolas podem ser pensadas como espaços de constituição da italianidade, da civilidade e de aprendizagem dos saberes elementares do ler, escrever e calcular e compreende-las requer a reconstrução de como as mesmas foram sendo produzidas no que diz respeito aos discursos pedagógicos e à cultura material. Os discursos pedagógicos, segundo esclarece Nóvoa (1998) são muito mais do que simples linguagens: eles fazem parte de um processo complexo graças ao qual a sociedade define os problemas educativos e toma as medidas para resolvê-los. Os discursos pedagógicos constituem-se em espaços de poder porque envolvem disputas entre diferentes formas possíveis de ordenação, explicação, sistematização e hierarquização do mundo escolar, promovendo desta forma o controle e a regulação dos discursos, instituindo e organizando, por sua vez, as ações, as reações e as posições do e no universo escolar. Quanto aos aspectos materiais, segundo Vinão Frago (1995) estudar o conceito de cultura material implica tratar os múltiplos significados dos objetos, para além de sua estrutura técnica e de sua função, buscando compreendê-los a partir das relações sociais de que fazem parte e das diversas manifestações instauradas na vida escolar. Para a realização da pesquisa toma-se como fontes: os Relatórios sobre o estado da Instrução Pública em São Paulo, os Anuários do Ensino do Estado de São Paulo, os Mapas de Frequencia, os Relatórios do Ministério das Relações Exteriores da Itália, jornais, fotografias, livros, dentre outros.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Claudia Panizzolo (responsável pelo projeto)

 

Os periódicos de ensino e suas potencialidades para o estudo da cultura escolar - séculos XIX e XX

Data: 01/02/2019 - em andamento

O presente projeto pretende investigar elementos da cultura escolar tomando como fonte de estudo os periódicos de ensino publicados no campo educacional paulista entre os séculos XIX e XX. Almeja-se investigar a genealogia dos objetos escolares e das teorias pedagógicas e as suas distintas configurações nos contextos escolares (grupos escolares, escolas reunidas e escolas isoladas), assim como a constituição da profissão docente no Brasil. Entende-se como elementos da cultura escolar os programas de ensino e os currículos escolares, as avaliações e os exames, bem como as comemorações escolares. No âmbito das teorias pedagógicas, intenta-se investigar a difusão e os modos de apropriação de autores europeus e norte-americanos no campo educacional paulista.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Renata Marcílio Cândido (responsável pelo projeto)

Os sistemas próprios de avaliação em larga escala no Brasil e na América Latina: levantamento e análise de modelos vigentes

Data: 01/01/2015 - em andamento

No amplo processo de reforma educativa empreendida a partir dos anos 1990 foi se consolidando, no Brasil e em diferentes países da América Latina, sistemas de avaliação em larga escala que impactaram/vêm impactando fortemente os currículos escolares, a produção e aquisição de materiais didáticos, o trabalho e a carreira docente ? com políticas de responsabilização, controle e bonificação ? e a gestão das escolas, além de incentivar e favorecer a proliferação de diferentes modalidades de convênios e parcerias com instituições privadas. No Brasil, como consequência do processo desencadeado em âmbito federal, também estados e municípios começaram a discutir e elaborar sistemas próprios de avaliação. Dessa forma, está pesquisa busca identificar, analisar e discutir os diferentes modelos de avaliação em larga escala produzidos no Brasil, nos diferentes estados e municípios brasileiros, bem como nos países da América Latina, de modo a investigar os impactos de tais modelos de avaliação em larga escala sobre o sistema educacional ao qual se dirige, sob diferentes perspectivas: do trabalho e carreira docente, da gestão, da organização escolar e do currículo, das reformas educacionais e das políticas de quase-mercado, como a incorporação de sistemas privados de ensino na educação pública, por exemplo.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Dr. Luiz Carlos Novaes (responsável pelo projeto)

Observatório Permanente de Avaliação dos Egressos da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade Federal de São Paulo

Data: 01/01/2019 - em andamento

Essa pesquisa consiste em estabelecer parâmetros e mecanismos para o acompanhamento dos egressos dos cursos de graduação e pós-graduação da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - EFLCH com a finalidade de fortalecer as relações entre a Escola e seus egressos, gerando subsídios para a avaliação, planejamento e o aprimoramento de ações institucionais. Visa à contribuir para a avaliação crítica permanente do projeto pedagógico conduzido pela EFLCH e seu comportamento frente à dinâmica e mudanças macroeconômicas, políticas, sociais e culturais, ao mesmo tempo em que poderá servir de parâmetro para o incentivo à participação dos egressos em atividades de ensino, pesquisa e extensão promovidas pela Universidade, como público e como colaboradores.

Recursos: Fapesp

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Magali Aparecida Silvestre (responsável pelo projeto); Profa. Dra. Maria Angélica Pedra Minhoto

Pedagogia das diferenças de gênero para a educação da primeira infância

Data: 01/01/2017 - em andamento

Este projeto de pesquisa busca investigar a perspectiva de gênero na educação da infância e formação docente, identificando as possíveis articulações entre as experiências da Itália e do Brasil. O projeto engloba duas frentes complementares, que buscam a intersecção entre gênero, formação docente na Educação Infantil e políticas públicas. Uma dessas frentes diz respeito à realização de um levantamento e análise das literaturas infantis adotadas em escolas de educação da primeira infância, sobre a temática da diversidade de gênero. A outra frente refere-se ao estudo das possibilidades e limites da introdução do gênero na formação docente inicial, a partir dos registros de estágios de formação docente. Considerando que no Brasil, são escassos ou quase inexistentes os materiais educativos sobre a temática de gênero para professores/as de Educação Infantil, este projeto de pesquisa pretende levantar e analisar literaturas infantis italianas, sobre a temática da diversidade de gênero. O projeto de pesquisa pretender dar continuidade ao debate sobre os estereótipos de gênero nos livros didáticos para infância e adolescência, desenvolvido na Itália. A pesquisa também procura identificar, nas experiências de estágio docente, os desafios para a construção de uma “Pedagogia das diferenças de gênero” para pensar as práticas educativas para emancipação das relações de gênero nos processo de formação docente, dentro dos curso de formação docente.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Daniela Finco (responsável pelo projeto)

 

Pensar educação com Félix Guattari: da máquina escolar à microrrevolução do desejo

Data: 01/02/2020 - em andamento

O objetivo geral do projeto é investigar o pensamento de Félix Guattari na vertente de sua atualização e potência analítico-conceitual para a área da Educação. De modo específico, privilegia-se pesquisar como a máquina escolar tem sido montada e desmontada conforme os interesses produtivos da sociedade capitalista contemporânea. No cerne dessa questão encontra-se a produção de subjetivação otimizada por atitudes, comportamentos, ações e modos de se relacionar às expensas da lógica da própria máquina capitalista. A hipótese analítica é a de que as experiências de microrrevolucões de desejo podem instar os seus sujeitos a agir com o intuito de curto-circuitar o estado atual da máquina escolar. Nessa perspectiva, pensar a topografia da máquina escolar é ativar rupturas e atopias, produzir outros fios de agenciamentos com a experiência escolar e a educativa, criar outras derivações que potencializam a produção de subjetivação considerando os processos de singularização e de relações grupais ? grupos-sujeitos, resistindo, assim, o próprio modo de produção de desejo e de subjetivação da sociedade capitalista. Por se tratar de uma pesquisa de aspecto teórico, a metodologia apoia-se, sobretudo, na investigação bibliográfica da obra de Félix Guattari, seus intérpretes e comentadores. Palavras-chave: Félix Guattari; máquina escolar; sociedade capitalista; produção de subjetivação; microrrevolução de desejos.

Recursos: Fapesp

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Dr. Alexandre Filordi de Carvalho (responsável pelo projeto)

Políticas de inclusão digital: desdobramentos na educação básica e na formação de professores

Data: 01/08/2013 - em andamento

O projeto volta-se às políticas de inclusão digital e seus desdobramentos na educação básica e no campo da formação de professores. Partindo do estudo das normativas legais sobre formação de professores para o uso pedagógico das tecnologias digitais da informação e comunicação (TDIC), o projeto erige-se em meio a três eixos que se imbricam: a) pesquisas documentais de estudos publicados em anais e em periódicos relacionados ao tema; b) pesquisas documentais de programas de inclusão digital voltados às escolas públicas brasileiras; c) estudos de caso sobre programas e ações de formação de professores da educação básica para o uso educacional das TDIC, respectivamente desenvolvidos nos âmbitos das redes públicas de educação e das unidades escolares.

Recursos: CAPES

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Lucila Maria Pesce de Oliveira (responsável pelo projeto)

 

Política educacional na rede estadual paulista (1995 a 2018)

Data: 01/01/2019 - em andamento

Este projeto de pesquisa foi elaborado por pesquisadores da Rede Escola Pública e Universidade que, desde 2016, vêm estudando as políticas educacionais na rede estadual paulista. A temática que o circunscreve é a análise longitudinal da política educacional paulista, de forma a abranger os últimos 23 anos (1995-2018), em termos de formulação, implementação e resultados, expressas nas reformas, programas e projetos, considerando um espectro que engloba da implantação às formas de resistência. Assim, o objetivo da pesquisa é analisar a política educacional do estado de São Paulo no período indicado, com base nos elementos que perpassam o conjunto de ações da Secretaria de Estado da Educação paulista, visando apreender suas orientações, avanços e formas de resistências. Consideramos que a apreensão das políticas públicas e da forma como elas são concebidas, formuladas e executadas exige um entendimento sobre o modo de operar do Estado, à medida que a concepção de Estado orienta a análise dos formatos da ação estatal e o seu nível de intervenção na sociedade. Os procedimentos metodológicos envolvem a realização de pesquisa quali-quantitativa, posto que visam abarcar análises estatística e documental e pesquisa de campo. Os dados serão coletados e examinados com base nos pressupostos da análise de políticas públicas que consideram as relações de determinada política ou programa com os arranjos sociais, econômicos e políticos mais gerais (LASSWELL, 1951), adotando-se a perspectiva da Teoria do Equilíbrio Pontuado de Baumgartner e Jones (1993), que propicia uma forte integração entre estudos qualitativos e quantitativos, adequada à compreensão das variações de longo prazo em um mesmo campo de políticas públicas, enfoque metodológico.

Recursos: Fapesp

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Márcia Aparecida Jacomini (responsável pelo projeto); Prof. Dr. Luiz Carlos Novaes; Profa. Dra. Isabel Melero Bello; Profa. Dra. Marieta Gouvêa de Oliveira Penna 

 

Políticas educacionais, trabalho docente e cotidiano escolar: os impactos das políticas educacionais na organização do trabalho na escola e na configuração da cultura escolar

Data: 01/01/2013 - em andamento

O projeto investiga como a escola pública reage frente às diferentes políticas educacionais e os impactos na organização do trabalho na escola e na configuração da cultura escolar. Rearticuladas, aligeiradas ou ignoradas, muitas ações decorrentes de tais políticas, que tratam as escolas apenas como unidades depositárias e executoras, pouco se assemelham àquelas imaginadas por seus propositores, já que, muitas vezes, a existência de uma intenção instituinte parece burlar a cultura instituída. Também é interesse do projeto Identificar as influências de políticas educacionais na articulação de discursos acerca da escola pública e seus atores, pois, muitas vezes, os atores da escola pública são acusados de oferecer um serviço de baixa qualidade, quando comparados às escolas e professores do passado. Sob a égide de uma cultura do desempenho, são responsabilizados pelo sucesso e pelo fracasso dos alunos, sem que outras causas sejam consideradas, acentuando e fortalecendo mecanismos de controle sobre o trabalho e a organização da escola. Além dos docentes envolvidos, o projeto reúne estudantes da graduação, com bolsas de extensão é iniciação científica, que realizam pesquisas nas unidades escolares da rede estadual, em diferentes frentes: as condições de trabalho docente conforme estatuto de contratação, as políticas de formação em serviço de docentes e gestores escolares, avaliação de desempenho e produção de indicadores, produção de materiais curriculares e controle do trabalho docente.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Dr. Luiz Carlos Novaes (responsável pelo projeto)

 

Políticas para Educação Superior, Ciência e Tecnologia e seus Financiamentos

Data: 01/02/2021 - em andamento

O projeto tem como objetivo analisar o impacto das políticas públicas de expansão e financiamento da Educação Superior e da ciência e tecnologia no desenvolvimento econômico e social e na competitividade do Brasil, partindo da premissa de que o desenvolvimento econômico e social e a redução das desigualdades são influenciados pelo fortalecimento dessas políticas.

Recursos: Fundação Tide Azevedo Setubal

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Maria Angélica Pedra Minhoto (responsável pelo projeto) 

Políticas e Programas de Alfabetização, de Letramento e de Educação literária nos anos iniciais do Ensino Fundamental: processos de escolarização e formação docente em contextos periféricos

Data: 01/02/2020 - em andamento

O projeto investiga a formulação e implementação de políticas e programas de alfabetização, letramento e educação literária que incidem na escolarização nos anos iniciais. De um lado, debruça-se sobre a formulação e processos de implementação dessas políticas e programas públicos, buscando compreender em que bases se fundamentam e qual problemática propõem-se a solucionar, quais princípios orientam as estratégias e ações adotadas. Analisam-se ainda arranjos institucionais, explicitando os agentes diretamente implicados e suas formas de interação. De outro, busca compreender de que modo essas estratégias e ações materializam-se em práticas de letramento e os significados que os agentes e participantes previstos atribuem a essas políticas e programas. Para tanto, abrange um quadro teórico-metodológico que advém do campo de Políticas Públicas, da Educação, especialmente dos estudos sobre a equidade e justiça social nos processos de escolarização, e Estudos do Letramento, numa perspectiva sócio-histórica e cultural. Pretende-se contribuir na composição de uma cartografia de políticas e programas voltados à alfabetização, ao letramento e à educação literária em contextos periféricos, de modo a tecer compreensões sobre seus potenciais efeitos e as singularidades dessas ações nesses contextos.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Claudia Lemos Vóvio (responsável pelo projeto)

Práticas educativas bilíngues com alunos surdos

Data: 01/01/2021 - em andamento

Pautando-se nos princípios de uma educação inclusiva bilíngue e tendo os alunos surdos como foco desta investigação, objetiva-se analisar particularidades de práticas educativas voltadas para alunos surdos matriculados em escolas-polo bilíngues e escolas bilíngues, das redes municipais de Guarulhos e São Paulo. Pautando-se na teoria histórico-cultural, de Lev Vigotski, e pesquisas que seguem tal perspectiva teórica, o projeto, organizando-se metodologicamente como pesquisa-ação, prevê a coleta de dados no campo-turmas bilíngues para surdos, o que acontecerá por meio de entrevistas narrativas e semiestruturadas com professores bilíngues e observações do cotidiano das turmas. A ação formativa da pesquisa prevê o planejamento, a execução e a avaliação de práticas educativas centradas na literatura infantil e no ensino por investigação a serem desenvolvidas com os alunos surdos, com o intuito de observar as contribuições para a construção da autoimagem da criança e de sua linhagem argumentativa.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Érica Aparecida Garrutti de Lourenço (responsável pelo projeto)

 

Processos educativos e perspectiva histórico-cultural: aproximações entre a Teoria da Objetivação e a Atividade Orientadora de Ensino (AOE)

Data: 01/01/2017 - em andamento

O projeto envolve pesquisas acerca dos processos educativos a partir dos referenciais teórico e metodológicos da perspectiva Histórico-Cultural e da Teoria da tividade. Fundamentando-se nas produções de Vigotski e seus colaboradores, Davidov, Moura e Radford busca compreender os processos de ensino e de aprendizagem, tanto na educação básica quanto na formação inicial e continuada de professores. Em particular, busca-se compreender os processos de subjetivação e objetivação por meio da contribuições da Teoria da Objetivação e da AOE.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Vanessa Dias Moretti (responsável pelo projeto)

 

Processos psicossociais da formação e do trabalho dos professores

Data: 01/01/2018 - em andamento

Este projeto investiga, com o embasamento teórico e metodológico da psicologia histórico-cultural e valendo-se de questionários e entrevistas temáticas, as condições psicossociais em que se produzem a formação inicial, continuada e o trabalho dos professores que atuam na educação básica. Especial atenção é dada para as significações subjetivas atribuídas por esses profissionais para tais condições e suas relações com a mediação dos processos de aprendizagem e desenvolvimento promovidos pela escola.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Itale Luciane Cericato (responsável pelo projeto)

Professores nas cidades: experiências urbanas, escola pública em periferias, fundamentos teóricos e práticas pedagógicas

Data: 01/01/2018 - em andamento

Esse projeto de pesquisa tem como objetivo geral investigar como os professores iniciantes do ensino fundamental, da Zona Leste de São Paulo e da Região dos Pimentas de Guarulhos retratam a luz da experiência de viver em cidades suas inserções profissionais na escola pública periférica, seus fundamentos epistemológicos, seus saberes docentes, e suas práticas pedagógicas. Para compreendermos a proposta temos de partir do princípio de que vivemos o capitalismo e, portanto, mais que um ser exógeno a ser evidenciado, ele é a nossa própria maneira de viver. Trata-se, por sua vez, do único modo de produção que conseguiu absorver todas as formas de vida criadas pela humanidade sendo que, ao mesmo tempo que as absorve, recria-se sob novos parâmetros. Sua realização, seja em diferentes escalas e diferentes lugares, seja nas inserções na vida urbana, nos currículos, na formação docente, ou ainda nas práticas pedagógicas é, igualmente, a materialização de um amplo conjunto de valores, comportamentos, leituras de mundo. Essa maneira de viver possui, portanto, um currículo que, na diversidade da produção, circulação e construção de ideias do/no mundo, da /na cidade, se ajusta e se confronta com tudo que lhe é externo para que possa realizar o que possui de estrutural a fim de garantir seu processo de acumulação ou reprodução ampliada. À luz desse movimento, entendemos o quanto é importante pensar sobre as maneiras como os professores que vivem e trabalham nas escolas públicas periféricas das grandes cidades têm reconhecido suas interpretações e apropriações da cidade, assim como resistido (ou não) às imposições curriculares e recriado os saberes docentes e práticas pedagógicas construídas na escola. Nesse sentido, o ponto de partida da discussão toma como referência a compreensão de que viver em cidades (no campo ou em alhures) possui um currículo que estabelece normas de convivência e reprime ou absorve suas contradições.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Prof. Dr. Jorge Luiz Barcellos da Silva (responsável pelo projeto)

Teoria Histórico-cultural: Desigualdade, diferença e inclusão nos processos educativos

Data: 01/01/2018 - em andamento

A pesquisa objetiva investigar percursos de escolarização e inclusão de estudantes no que se refere às questões relativas a diversidade nos espaços educativos. Fundamenta-se no enfoque Histórico-cultural, compreendendo os processos inclusivos no âmbito institucional no que tange a princípios e práticas de reconhecimento da diversidade social e das diferenças humanas que integram o campo das relações familiares, culturais, étnico-raciais e socioeconômicas. Tal proposta considera a análise das relações família-escola nos contextos e processos relativos ao fenômeno do acesso e permanência de crianças e jovens na escola, no ensino superior e no campo do trabalho.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Edna Martins (responsável pelo projeto)

Trabalho docente na educação básica: formação, condições de trabalho, desenvolvimento profissional de professores e a constituição de habitus 

Data: 01/01/2018 - em andamento

Esta pesquisa se insere na temática do trabalho docente, investigando aspectos que o normatizam, tais como trajetórias profissionais, formação, condições de trabalho e organização do trabalho pedagógico nas escolas. Investiga os professores, bem como os demais agentes envolvidos no fazer escolar: equipe de gestão, alunos, funcionários, pais. Apoiando-se em Pierre Bourdieu,tem por objetivo investigar a constituição de um habitus relacionado ao exercício da função docente. Entende-se que tal habitus refere-se à origem e pertença de classe dos professores e às diferentes trajetórias sociais. Também, refere-se à escola, suas formas de organização e sua função social, marcando o trabalho do professor. Nesse aspecto, diz respeito às aprendizagens ocorridas em processos de socialização na escola, espaço que comporta modos de visão e divisão referidos ao campo educacional.

-

Pesquisadores da Escola de Filsofia, Letras e Ciências Humanas

Profa. Dra. Marieta Gouvea de Oliveira Penna (responsável pelo projeto)

© 2013 - 2022  Universidade Federal de São Paulo - Unifesp

Campus Guarulhos da Unifesp • Edifício Arco - Sala 33 • Estrada do Caminho Velho, 333  - Jardim Nova Cidade • CEP 07252-312 Guarulhos - SP •  ppg.educacao@unifesp.br